Após mais de 40 dias, estudantes da UEL decidem encerrar paralisação

Os estudantes da Universidade Estadual de Londrina (UEL), que estavam em greve desde o dia 17 de outubro, decidiram encerrar a paralisação em uma assembleia realizada na noite desta quarta-feira (30), que durou mais de três horas.Os alunos são contrários a emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2017, proposta pelo governo do Paraná, que trata da data-base dos servidores estaduais, a Medida Provisória (MP) 746, do governo Federal, que propõe mudanças .Os estudantes também reivindicam a ampliação de moradia estudantil, de cotas raciais e do passe livre.A decisão ocorreu após vários grupos se mobilizarem contra a paralisação. Nesta semana, a Justiça já tinha determinado a retomada das aulas do curso de direito. O Ministério Público Estadual do Paraná (MP-PR) também recomendou a regularização das atividades.As aulas só serão retomadas após a definição do novo calendário letivo, que estava previsto para o dia 31 de janeiro. As reposições das aulas que foram perdidas serão definidas pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE).

Compartilhar