Vereadores desistem de pedir saída de padre que sugeriu redução salarial

Os vereadores de Mauá da Serra, no norte do Paraná, desistiram nesta segunda-feira (17) de pedir a saída do padre da cidade, após o sacerdote dizer em uma missa que os parlamentares recebiam salários muito altos. No município, os atuais vereadores recebem salários de R$ 3 mil, mas se reúnem apenas uma vez por semana na Câmara, para votar projetos de interesse da sociedade.

Na sessão desta segunda, os vereadores resolveram cancelar uma audiência que teriam com o bispo, para falar sobre a atuação política do padre Porto de Jesus. A iniciativa foi motivada, em muito, pela pressão popular, que resolveu abraçar a causa do padre. Para o religioso, os parlamentares deveriam receber salários abaixo de R$ 1 mi

Com a Casa cheia durante a sessão, os parlamentares apresentaram um projeto de lei para reduzir os subsídios que a próxima legislatura vai receber. De acordo com a proposta, os salários atuais seriam reduzidos de R$ 3 mil para R$ 820. Já o projeto de lei deve ser analisado pelas comissões da Câmara, antes de seguir para a votação no Plenário.

A sessão foi tumultuada e houve confusão entre alguns moradores e os parlamentares. Uma vidraça do prédio da Câmara chegou a ser quebrada. Uma pessoa ficou ferida com os estilhaços, Ninguém foi preso.

Outras cidades
A onda de pedidos para a redução de salários dos vereadores já conseguiu resultados em outras duas cidades da região norte do Paraná. A primeira foi Santo Antônio da Platina, onde os vereadores vão receber R$ 970 a partir da próxima legislatura. Atualmente, eles têm um subsídio de R$ 4 mil.

Já na cidade vizinha, Jacarezinho, os moradores continuam lutando para que seja aprovado um projeto que baixe os salários dos parlamentares dos atuais R$ 6,2 mil para um salário mínimo. A pressão, que fez o presidente da Câmara ir embora de camburão, já deu resultado parcial. No dia 10 de agosto, os vereadores aceitaram um projeto que reduziria os subsídios para R$ 4,3 mil.

Em Curitiba, um estudante de direito também busca uma redução de 90% nos salários dos vereadores que, atualmente, recebem cerca de R$ 15 mil. De acordo com a proposta dele, a ideia é que os parlamentares da capital paranaense recebam apenas R$ 1,5 mil. O projeto tem feito sucesso na internet, mas ainda é criticado pelos vereadores.

G1

Compartilhar